Artigo

Gestação de Alto Risco

sábado, 24 de setembro de 2016 / Dr. Marcus Cavalheiro

Voltar à lista de artigos

A gestação é um fenômeno fisiológico que deve ser visto pelas gestantes e equipes de saúde como parte de uma experiência de vida saudável que envolve mudanças dinâmicas do ponto de vista físico, mental, emocional, social e espiritual. Entretanto para um determinado número de gestantes, a gravidez pode implicar em riscos tanto para a mãe como para o feto, com maior risco de evolução desfavorável. É a chamada Gestação de Alto Risco.

Gestação de Alto Risco é “aquela na qual a vida ou a saúde da mãe e/ou do feto e/ou do recém-nascido têm maiores chances de serem atingidas que as da média da população considerada”. ( Caldeyro-Barcia, 1973 )

A assistência pré-natal é fundamental para identificar os fatores geradores de risco gestacional que antecedem a gravidez, os que estão presentes desde o seu início e aqueles fatores de risco que irão aparecendo no curso da gestação. Por estes motivos, a simples ausência nas consultas periódicas de pré-natal pode colocar a gestante numa situação de alto risco.

Antecedentes familiares, como hipertensão arterial, eclampsia, diabetes, trombose venosa e outros devem ser considerados, assim como hábitos insalubres de vida : tabagismo, alcoolismo, trabalho insalubre, excessivo, estressante extenuante, uso de drogas ou medicamentos, etc..

A história reprodutiva anterior é de suma importância, seus sucessos e insucessos (óbito fetal ou abortamentos ), assim como as complicações que eventualmente ocorreram em gestação anterior.

A identificação de doenças clínicas presentes desde o início da gestação, como hipertensão arterial, diabetes, doenças do coração, tireoide, rins , pulmões, doenças autoimunes ( Lupus, Síndrome anti fosfolípide ), epilepsia,doenças ginecológicas, infecciosas, tumores e outras, é indispensável para que se estabeleça um plano adequado de seguimento pré natal e programação do parto mais adequado para determinada complicação.

Gostaria de lembrar que nos meus 39 anos de experiência como Obstetra especializado em Gestação e Alto Risco que, além da Gestante , o Feto deve ser constantemente avaliado pois, atualmente, temos condições de estudar o ambiente fetal e determinar seu possível comprometimento perante uma situação materna desfavorável e, salvo raras situações de emergência, atuar para salvar a vida do concepto.

A ansiedade e a insegurança comuns em qualquer gestante, tornam-se muito mais acentuadas quando ocorre uma complicação na gravidez e/ou no feto, cabendo ao Obstetra transmitir a segurança e tranquilidade necessárias, atendendo às dúvidas e preocupações. Inúmeras vezes contamos com o apoio da Medicina Homeopática para ajudar a paciente no seu equilíbrio emocional.

Enfim, após esta abordagem geral, daremos continuidade ao tema nos artigos subsequentes, onde destacaremos os fatores de risco mais comumente encontrados na nossa prática diária.

Até breve !

Dr Marcus Cavalheiro

Voltar à lista de artigos

Escreva seu comentário

Campos marcados com * são obrigatórios.